Newsletter
Subscreva a nossa newsletter

Newsletter

FacebookTwitter
Jornal do Concelho de Oleiros | Directora: Daniela Silva | Periodicidade: Trimestral | Novembro 2022 nº84 Ano XXII
Orçamento participativo
Já são conhecidos os projetos aprovados

CMOA segunda edição do Orçamento Participativo para o concelho de Oleiros já tem aprovados os projetos candidatos. Segundo apurámos junto da autarquia, das 16 propostas apresentadas para a categoria geral, foram aprovados as seguintes candidaturas: Pedalar sem esforço; Combate à desertificação e falta de população no concelho de Oleiros; Piscina Fluvial Flutuante; Pedalar para contemplar; Construção de Campo de Padel; Roda d´Istórias e (Re)Contar a História. Na categoria Jovem, foi aprovado o projeto Cais Fluvial no Rio Zêzere e Zona de Lazer.
De fora ficaram as propostas Oleiros Aproxima – Serviço de Teleassistência para idosos; Recuperação de Moinho e Construção de Forno Comunitário; Miradouro Meandros do Zêzere; Casa Museu e Requalificação da Fonte Centenária do Souto. No que respeita ao Orçamento Participativo Jovem não foram aprovados os projetos Miradouro com vista para a aldeia de Álvaro e seus envolventes; Crescimento das PME’s (Pequenas e Médias Empresas) do concelho de Oleiros e Linho na Passadeira Vermelha.
À luz do Regulamento, os proponentes podem apresentar eventuais recursos, dirigidos à Comissão de Supervisão, no prazo estipulado.
Os objetivos do Orçamento Participativo passam por “contribuir para uma maior aproximação das políticas públicas e da governação local às reais e expectantes necessidades dos jovens e da comunidade em geral; Fomentar e contribuir para o exercício de uma cidadania participativa, ativa e responsável que potencie a credibilidade das instituições e a qualidade da própria democracia, com o envolvimento dos jovens e da população em geral; e Incentivar a interação entre eleitos, técnicos municipais e cidadãos na procura de soluções para melhorar a transparência da gestão pública e a qualidade de vida no concelho, especialmente em benefício das áreas do território mais afastadas e dos grupos sociais mais vulneráveis”.