Newsletter
Subscreva a nossa newsletter

Newsletter

FacebookTwitter
Jornal do Concelho de Oleiros | Directora: Daniela Silva | Periodicidade: Trimestral | Novembro 2022 nº84 Ano XXII
Orvalho
Médico cirurgião produz vinho de qualidade superior

MedicoCom raízes no Orvalho, o médico cirurgião cardíaco André de Lima Antunes não quis perder a ligação ao concelho de Oleiros e decidiu investir num projeto agrícola. Já produz vinho com a marca Quinta do Vale da Carvalhinha. Mas olha para o olival e para o medronheiro como apostas a seguir. A candidatura efetuada a fundos comunitários vai nesse sentido.
O projeto abrange uma área total de 20 hectares. Para avançar com o processo, André de Lima Antunes, que é também médico coordenador da Volta a Portugal em Bicicleta, ainda arranjou tempo para tirar um curso de jovem agricultor. Neste projeto tem contado com o apoio do pai e no último mês efetuou a vindima, onde reuniu familiares e amigos.
“A cirurgia cardíaca ocupa-me muito tempo, é um facto. Digo muitas vezes que as minhas áreas de interesse são os corações, as bicicletas e o vinho. A minha ligação ao Orvalho decorre deste projeto. Os meus avós eram agricultores. Infelizmente já só tenho as minhas avós e não queria perder o interesse pelas minhas raízes. Se não tiver nada que me motive ir ao Orvalho, no futuro deixarei de ir lá. Sempre gostei da área do vinho”. Não é por acaso, diz, “o vinho do meu avô materno era considerado o melhor da aldeia”.
O nome do projeto, “Quinta do Vale da Carvalhinha” resulta do facto desse ser o nome da propriedade que os avós tinham naquela freguesia. A marca foi registada e à quinta inicial foram acrescentados mais terrenos. Hoje são 20 hectares no total. Fiz um curso de jovem agricultor e submetemos um projeto para fundos europeus, de que ainda não sabemos o resultado. De qualquer modo, desses vinte hectares, já preparámos dois para vinha, com sistema de rega gota a gota e vedações”.
André de Lima Antunes adianta que no futuro estarão destinados à vinha oito hectares. O vinho produzido é de qualidade superior, mas o médico acredita que no futuro será melhor. “Temos tido o apoio do enólogo José Cláudio Osório, que tem desenvolvido a sua atividade na região do Douro. Temos um vinho extraordinário que tende a melhorar com o tempo”, diz. As castas utilizadas são touriga nacional (50%), tinta roriz e jaen, mas no futuro serão plantadas outras como o tinto cão”.
FamiliaO vinho deste ano só deverá estar pronto no final do ano ou no início de 2023. “O vinho está em cubas e depois estará entre três a seis meses em barricas de madeira. O engarrafamento será feito no Orvalho, através do equipamento que o enólogo disponibilizará”

Vocação vem de criança

André de Lima Antunes desde criança, quando observou as melhoras da sua avó após uma intervenção ao coração, que decidiu ser “um médico que mexia nos corações das pessoas e que as punha boas”. Esse seu desejo foi concretizado, com muito trabalho, estudo e capacidade.“Para uma criança como eu, ver as melhorias que ela teve mexeu muito comigo e coloquei na minha cabeça que queria ser um médico que mexia nos corações e que punha as pessoas boas. As coisas correram bem, entrei em medicina e quando concorri para a especialidade consegui uma das três vagas”.
E foi a profissão que abraçou que lhe permitiu entrar num outro mundo, o do ciclismo, de que tanto gosta. “Chego a ir ver provas ao estrangeiro. Conheci o Cândido Barbosa em Coimbra, quando o pai dele foi operado ao coração. Ficou uma grande amizade. E ele sabendo do meu gosto pelo ciclismo, convidou-me para ser médico do Grande Prémio Nacional 2. As coisas correram bem e fui fazendo outras provas, até que este ano fui convidado para ser médico coordenador da Volta a Portugal”, conta.