Newsletter
Subscreva a nossa newsletter

Newsletter

FacebookTwitter
Jornal do Concelho de Oleiros | Directora: Daniela Silva | Periodicidade: Trimestral | Agosto 2021 nº79 Ano XVII
Orçamento participativo com 24 projetos a votação

CMOA primeira edição do Orçamento Participativo, promovido pela Câmara de Oleiros, terá 24 projetos a votação. Segundo apurou o Oleiros Magazine, foram aprovados 24 dos 33 projetos candidatados, dos quais cinco dizem respeito ao Orçamento participativo Jovem.
As propostas definitivas serão votadas entre 9 e 31 de outubro e os resultados finais serão divulgados em novembro. Em nota enviada à nossa redação, a autarquia revela que foram aprovadas as seguintes propostas na categoria geral: Miradouro Meandros do Zêzere; Rede Wi-Fi na Aldeia de Estreito; Requalificação da Fonte Centenária do Souto; Requalificação de Fonte Centenária com Criação de Zonas de Lazer em Roqueiro; Geradores para as Nossas Freguesias; Recuperação de Moinho e Forno Comunitário; Combate à Falta de População Jovem; Ponte Suspensa, tipo Himalaia; A Minha Freguesia tem uma Biblioteca; Baloiço de Madeira; Pedalar para Contemplar; Oficina dos Sabores e das Tradições; Requalificação da Entrada SO da Vila de Oleiros; Requalificação da Fonte Antiga - Foz do Giraldo; Reconstruir Memórias; Miradouro; Estação de Serviço para Autocaravanas; Beneficiação da Zona Envolvente do Açude da Estacada e Levada entre Mosteiro e Vale do Souto; e IsnaFit.
Já no Orçamento participativo Jovem foram aprovadas as candidaturas "Chapéus e Espreguiçadeiras nas Margens do Rio; Associação de Voluntariado Internacional; Zêzere ConVida; Cais Fluvial no Rio Zêzere; e Apoio à Formação Jovem.
Recorde-se que tendo em conta o regulamento do Orçamento Participativo, os objetivos da iniciativa passam por "contribuir para uma maior aproximação das políticas públicas e da governação local às reais e expectantes necessidades dos jovens e da comunidade em geral; Fomentar e contribuir para o exercício de uma cidadania participativa, ativa e responsável que potencie a credibilidade das instituições e a qualidade da própria democracia, com o envolvimento dos jovens e da população em geral; e Incentivar a interação entre eleitos, técnicos municipais e cidadãos na procura de soluções para melhorar a transparência da gestão pública e a qualidade de vida no concelho, especialmente, em benefício das áreas do território mais afastadas e dos grupos sociais mais vulneráveis".
As candidaturas aprovadas estão integradas numa das áreas temáticas específicas, como Democracia e Cidadania; Solidariedade e coesão social; Ecologia, ambiente e energia; Cultura e arte urbana; Educação e Juventude; Património material e imaterial; Desporto, saúde e bem-estar; Mobilidade; Qualidade de vida; e Inovação e Empreendedorismo.