Newsletter
Subscreva a nossa newsletter

Newsletter

FacebookTwitter
Jornal do Concelho de Oleiros | Directora: Daniela Silva | Periodicidade: Trimestral | Dezembro 2020 nº77 Ano XVI
Editorial
A hora da verdade

O último verão foi dos mais catastróficos para o concelho de Oleiros. Dois violentos incêndios, um em 25 de julho, de que resultou uma vítima mortal (um jovem bombeiro da corporação de Proença-a-Nova) e outro em 13 de setembro, consumiram uma área significativa do concelho. Só o último deverá ter queimado cerca de 20 mil hectares de floresta e terrenos agrícolas, o equivalente a uma área de 20 mil campos de futebol!
O presidente da Câmara de Oleiros classificou os momentos como uma catástrofe. Muitos oleirenses perderam tudo. Aquilo porque lutaram toda a vida evaporou-se com o calor das chamas. Por onde passou, nada ficou. Os prejuízos são brutais a que se somam os provocados pela pandemia.
Este é o momento do país mostrar aquilo que vale, de criar mecanismos reais de recuperação, de mudar a floresta, de potenciar o desenvolvimento económico e de garantir que os produtores florestais não fiquem com uma mão cheia de nada.
O Secretário de Estado das Florestas, João Paulo Catarino, anunciou uma verba de 700 milhões de euros exclusivamente para ser aplicada em territórios como os de Oleiros. Uma aposta que faz parte do programa das Áreas Integradas da Gestão de Paisagem, e que de forma objetiva procura diversificar a floresta, suportando de forma direta a elaboração de projetos, a intervenção e a gestão das áreas.
O desafio foi feito precisamente em Oleiros e o ideal é que haja áreas contínuas de cerca de mil hectares. Esta é um momento que pode mudar o futuro e que esperemos possa ser bem sucedido. Nunca houve um músculo financeiro tão grande e com objetivos tão concretos. Saiba a região aproveitar, unir-se e trabalhar em conjunto, porque se assim não for e não houver projetos, o dinheiro será, concretiza, utilizado noutras regiões.
Depois das catástrofes dos incêndios deste verão, chegou a hora da verdade. Já se perdeu muito tempo e o território, como está, dificilmente aguentará outro verão como este.

A direção