Newsletter
Subscreva a nossa newsletter

Newsletter

FacebookTwitter
Jornal do Concelho de Oleiros | Directora: Daniela Silva | Periodicidade: Trimestral | Novembro 2019 nº72 Ano XVI
Oleiros ganha título de Município do Ano

luto.jpg

A Câmara de Oleiros acaba de conquistar o galardão de Município do Ano, pela Universidade do Minho, num concurso onde a autarquia oleirense se destacou pelo Programa de Apoio ao Luto, desenvolvido pela Câmara de Oleiros, e que este mês já venceu o Prémio de Boas Práticas.

A autarquia de Oleiros estava nomeada para a 6ª Edição desse prémio, na categoria Regional Centro (menos de 20.000 habitantes). A cerimónia da entrega dos prémios decorreu a 15 de novembro em Arouca, estando em análise 51 candidaturas, nas diferentes categorias. Vitor Antunes, vice-presidente da Câmara, recebeu a distinção e mostrou-se bastante satisfeito com a mesma, sobretudo pelo facto do projeto consistir num apoio concreto à população.

O concurso foi promovido pela Universidade do Minho e pretendeu reconhecer as "boas práticas de projetos implementados pelos municípios com impacto no território, na economia e na sociedade, promovendo o crescimento, a inclusão e a sustentabilidade".

O programa teve início em 2015 e tem sido desenvolvido pela psicóloga Rafaela Lopes. Para além de apoiar as pessoas que estão a viver o luto, o programa vai mais além e constitui um instrumento de saúde importante que chega a todas as freguesias do concelho de Oleiros.

O prémio do Município do Ano procurou ainda destacar a ação das autarquias e valorizar realidades diversas que incluam as cidades e os territórios de baixa densidade nas diferentes regiões do país.

Além de Oleiros, também o Município do Fundão foi distinguido com idêntico prémio, mas noutra categoria.

luto2.jpg

Para 2019 foram nomeados os municípios de Amares, Melgaço, Cerveira, Vinhais (Norte com menos de 20 mil habitantes); Bragança, Esposende, Ponte de Lima, Famalicão (Norte com mais de 20 mil habitantes); Gondomar, Trofa (Área Metropolitana do Porto); Figueira de Castelo Rodrigo, Oleiros, Penacova (Centro com menos de 20 mil habitantes); Águeda, Figueira da Foz, Fundão, Oliveira do Hospital, Ovar (Centro com mais de 20 mil habitantes); Loures, Sesimbra, Setúbal, Sintra (Área Metropolitana de Lisboa); Coruche, Ponte de Sor, Portel, Santarém (Alentejo); Albufeira, Olhão, Tavira, Vila do Bispo (Algarve); Funchal, Lajes do Pico, Madalena do Pico, Ribeira Grande (Regiões Autónomas); Gondomar, Paredes e Valongo; Palmela, Sesimbra e Setúbal; Póvoa de Varzim, Vila do Conde, Matosinhos, Porto, Valongo, Gondomar e Espinho (Intermunicipal).