Newsletter
Subscreva a nossa newsletter

Newsletter

FacebookTwitter
Jornal do Concelho de Oleiros | Directora: Daniela Silva | Periodicidade: Trimestral | Novembro 2019 nº72 Ano XVI
Percurso juntou uma centena de participantes
Trilho dos Apalaches é ímpar

trilhos.jpgO passeio pedestre - Trilho Internacional dos Apalaches (Grande Rota Muradal-Pangeia) juntou, no passado dia 13 de outubro, uma centena de participantes, numa caminhada que ligou o Estreito a Vilar Barroco, numa extensão de 12 quilómetros.
O evento teve a organização do Município de Oleiros tendo como parceiros a Associação Clube Raia Aventura, com o apoio das Juntas de Freguesia de Estreito-Vilar Barroco, Orvalho e Sarnadas de S. Simão e ainda das Associações Trilhos do Estreito e Os Cucos do Vilar Barroco.
A iniciativa, para além da vertente desportiva, incluiu a componente de convívio e de cultura. Assim, depois de percorridos 5.5 quilómetros do percurso e chegados ao Miradouro do Portelo, os participantes tinham à disposição o reforço alimentar. Neste local tiveram oportunidade de assistir a uma recriação histórica pela companhia de teatro Viv'Arte. Foi ainda nesse local que a geóloga do Geopark Naturtejo, Joana Castro Rodrigues, explicou a geologia do território, nomeadamente os fósseis marinhos que são visíveis. No final dos 12,6 Km de dificuldade média/alta, foi servido o almoço no Vilar Barroco.
Recorde-se que desde março de 2015 que Portugal tem um dos Trilhos Internacionais dos Apalaches, "o maior trilho de pegadas humanas do mundo", que tem o seu início no continente americano e atravessa a cordilheira montanhosa dos Apalaches, no sentido do seu comprimento, passando por 14 estados dos EUA, num percurso de 3500 quilómetros.
O percurso português situa-se em Oleiros, na Serra do Muradal, e consiste numa Grande Rota, com cerca de 37 km. O seu nome "Grande Rota Muradal-Pangeia", faz alusão à emblemática montanha quartzítica onde se desenvolve, mas também ao continente que existiu há 200 milhões de anos, e que reunia todos os continentes que existem atualmente e consequentemente, a região do Maciço Ibérico. Conhecida oficialmente, como GR 38 - Grande Rota Muradal Pangeia, "o trilho português dos Apalaches", consiste numa aproximação entre o continente americano e o europeu e é uma das maiores atrações turísticas da região.